20/02/2011

Rosina Pagã 1957 "Sucessos Com Rosina Pagã" [Rádio 0025V]

Caso raro de hype na pré-história da música brasileira, as Irmãs Pagãs - Elvira e Rosina Cozzolino - fizeram enorme sucesso e incendiaram o rádio brasileiro com sensualidade e o nome sugestivo. Tinham voz rouquinha e afinada, de pouca projeção, mas com graça natural e interpretação cheia de malícia. Eram também muito bonitas. Nasceram no interior de São Paulo, mas entraram no rádio no Rio de Janeiro, pelas mãos de produtor Gilberto de Andrade, no início da década de 1930.

Naquele tempo associar música à sensualidade não significava a mesma coisa que hoje, com a vulgarização do tema. Mesmo assim para a mentalidade da época, uma mulher possuía péssima reputação apenas por ser cantora de rádio. Que dizer de cantoras se insinuando sensualmente em trejeitos vocais e nas letras das canções... Havia modelos similares no exterior e nosso país tropical não poderia deixar de produzir suas representantes legítimas, ainda mais sob o requebro das batucadas. Nos palcos dos cassinos e teatros de revista as roupas que [des]cobriam as vedetes diminuíam cada vez mais e timidamente saíam dos recintos fechados para escandalizar a “sociedade” nas praias cariocas. No morro, a coisa não era novidade. Mas na praia, as oxigenadas Rosina e Elvira estão entre as pioneiras, seguidas da vedete Luz Del Fuego e da cantora Dora Lopes. Quatro artistas entre as primeiras mulheres que usaram biquínis nas praias do Brasil nos anos 40 e 50 do século passado. Pois é, este país deve muito a elas.

Rosina Pagã “Sucessos Com Rosina Pagã” 1957 Rádio 0025 V

~~~

Mas nem todas as cantoras participavam da bagunça, Linda e Dircinha, as Irmãs Batista [!!] eram o antídoto às Pagãs, como representantes das meninas “de família” - intento que não durou muito devido ao próprio comportamento das Batista. A verdade é que de Dalva de Oliveira à Maysa, todas as cantoras brasileiras foram do balacobaco.~

As mulheres que cantavam no rádio tinham que competir de igual para igual com os marmanjos, donos literalmente do pedaço. Aracy de Almeida e Araci Côrtes, por exemplo, caíam nas rodas de samba, não levavam desaforo para casa de ninguém e deram muito trabalho para os delegados dos subúrbios do Rio. Marília Batista com pose de dama e tudo, também não ficava atrás. O fato é que se faziam respeitadas.

O início da década de 1930 foi época de ouro dos conjuntos vocais masculinos, como os Anjos do Inferno e o Bando da Lua e de cantores como Francisco Alves e Mário Reis. Carmen Miranda ainda gravava no Brasil, fazia grande sucesso e sua irmã Aurora também. Outra Carmen, a Barbosa também encantava no rádio. As Irmãs Pagãs eram amigas da turma do rádio, cantavam informalmente nas festas e despertavam paixões. O olhar fatal quando eram fotografadas e as poses propositalmente sensuais em quase nudez, eram o elemento de promoção/provocação. Mas não era apenas isso, suas vozes tinham uma bossa incomum, mostrando grande talento, os discos de 78 rpms que deixaram são a prova.

Quando a dupla se desfez Elvira se retirou temporariamente do mundo artístico e Rosina mudou-se para o exterior, continuando a cantar e participou de alguns filmes no México e nos Estados Unidos. Quando voltava ao Brasil, em pequenas temporadas, Rosina fazia questão de gravar. As Irmãs Pagãs não foram facilmente esquecidas. Elvira, retorna como atriz em filmes no Brasil e na América Latina. Sempre em papéis sensuais elas nunca conseguiram se distanciar da imagem que usaram em seu favor.

Este disco trás pelo menos duas maravilhas na voz de Rosina Pagã. Ele não é de todo bom, ela gravou algumas besteiras. O conjunto ajuda bastante, com piano vigoroso em algumas faixas lembrando a pegada do Britinho, puxando o ritmo marcado. Os destaques são um samba fantástico do Assis Valente “Não Sossega Não” - cantado com tanta graça por Rosina que somos rendidos pelo seu encanto - e o cha-cha-cha “Nunca” com a voz em efeito similar ao que obtinham as Irmãs Pagãs. “Maracangalha” de Dorival Caymmi também aparece em grande forma na voz de Rosina com belo solo de acordeon entre palmas e percussão marcada.

Já entre as besteirinhas estão os sucessos da moda na época como “Que Será, Será” versão Nadir Corte Real, “Le Piano Du Pauvre”, as baladinhas teens “Conversa de Telefone”, “Mamãe Quero Dançar” e “Mambo Rock” - sim amigos um rock, ainda que vestido de mambo - com solo de piano alucinante... Exótico não? Pra animar festinha bizarra...

Mas não se engane que aqui a coisa é boa! “Não Sossega Não” e “Nunca” valem o disco todo. Coisa finíssima. E mesmo nos momentos exóticos, temos a voz de Rosina Pagã que por si só é uma brasa!

~~~

01 Que Será Será [Jay Livigston, Ray Evans, versão Nadir Corte Real] valsa
02 Não Sossega Não [Assis Valente] batucada
03 Nunca [Guty Cardenas] cha-cha-cha
04 Maracangalha [Dorival Caymmi] samba
05 Piano do Pobre [Le Piano Du Pauvre] [Leo Ferré] fox
06 Conversa de Telefone [Steve Allen, versão Lourival Faissal] fox
07 Mamãe Quero Dançar [letra de Lourival Faissal] cha-cha-cha
08 Mambo Rock [B. Reichner, M. Phillips, J. Ayre] mambo rock

este disco é um presente do site bossa-brasileira e não pode ser comercializado.

~~~

acima, a irmã Elvira Pagã no tempo do balacobaco...

abaixo trecho do filme "Alô, Alô Carnaval" de Adhemar Gonzaga, 1936, com as lendárias Irmãs Pagãs

5 comentários:

300discos disse...

Que isso, Thiago?
Você quer matar a gente intoxicado com tanta coisa boa de uma vez?
3 posts geniais no mesmo dia é muito ... Guenta coração.
Este da Rosina Pagã, particularmente, é espetacular!
Muito obrigado,

thiago mello disse...

300discos hehe de nada cara! obrigadão! fico especialmente feliz que vc tenha gostado, afinal tu é do "riscado"... hehehe abração!!

Joseh Garcia disse...

Conhecia a Elvira Paga pela nudez e pela forma tragica em que foi assassinada. Nao sabia que ela tambem cantava. Obrigado pelo post de otima qualidade.
Joseh Garcia
www.josehgarcia.com

TATY VELASQUEZ disse...

Seu Joseh Garcia, me desculpe mas o senhor estah fazendo uma baita de uma confusão, quem teve uma morte tragica(assassinada) foi aLuz del Fuego, a Elvira morreu de velhice...

Joseh Garcia disse...

Sim. Voce esta certo. Confundi Elvira Paga com Luz del Fuego.